Alphaville +55 11 4195.4500 +55 11 96447.1266 lana.machado@terra.com.br

Saúde da Mulher

como colocar o DIU

Por Dra Wany lana

Nesta postagem  vamos ensinar todo o processo de colocação do DIU, suas vantagens e até seus efeitos colaterais

Lembrando que neste texto esclarecemos todos os mitos sobre o DIU e como ele é um dos métodos contraceptivos mais utilizado e seguro que existem.

Custo do DIU

O custo da inserção do DIU pode variar de acordo com o produto escolhido e a taxa de colocação cobrada pelo profissional de saúde. Em média, o dispositivo custa de R$ 120,00 a R$ 900,00. O modelo de cobre costuma ser mais em conta, o que o torna mais acessível.

Levando em conta que o dispositivo pode durar até anos, seu uso pode compensar financeiramente em relação aos gastos com outros métodos anticoncepcionais, como pílulas.

Como é feita colocação do DIU e sua manutenção

Para colocação devem ser realizados exames médicos gerais, incluindo exame pélvico, das mamas, esfregaço cervical (Papanicolaou), e exames para excluir a existência de gravidez e as infecções genitais, assim como doenças sexualmente transmissíveis .

A posição do útero e o tamanho da cavidade uterina devem ser determinados pelo médico e descartar patologias uterinas.

O DIU pode ser inserido :

  • A qualquer momento do ciclo menstrual mas preferencialmente  dentro os primeiros 7 -12 dias após o início da menstruação , mas a sua eficácia é imediata, independentemente do momento do ciclo.
  • Imediatamente após um abortamento do 1º trimestre (menos de 13 semanas).
  • 6 semanas após o parto ou o aborto tardio.
  • Imediatamente em substituição de outro que foi retirado.
  • Como contracepção de emergência, até 5 dias após a relação sexual desprotegida.
  • Em qualquer momento, nas mulheres que fazem corretamente o uso de outros métodos de contracepção hormonal (pílula, anel vaginal ou adesivo transdérmico).

Como é feita a colocação do DIU

O procedimento de  colocação do DIU é rápido e sem necessidade de anestesia ou com anestesia local e tem uma duração total de poucos minutos desde o preparo até a implantação em si. No momento da implantação, a maioria das mulheres relatam sentir um leve desconforto, parecido com a dor da cólica menstrual, que pode permanecer ao longo do primeiro dia.

O DIU fica implantado dentro do útero e uma fina cordinha ligada à extremidade inferior do dispositivo fica localizada dentro da vagina para servir de suporte no momento da extração do DIU. Esse fio é muito fino e fica muito próximo à saída do colo do útero, não sendo, portanto, perceptível pelo parceiro em caso de relação sexual.

Depois do procedimento, é importante fazer uma ultrassonografia de controle, para que se tenha certeza de que o DIU está na posição correta, isto é, na cavidade uterina e os próximos controles devem ser realizados em 4 a 12 semanas após a inserção e, posteriormente, pelo menos uma vez por ano ou de acordo com a orientação do médico assistente.

Raramente, o DIU pode ser expulso, sendo mais frequente nos 3 primeiros meses, principalmente em pacientes com fluxo menstrual abundante.

Quais são as vantagens do DIU?

  • Liberdade da preocupação diária com a prevenção da gestação, ser comandado unicamente pela mulher, sendo uma opção prática e eficaz e ter um período longo de utilização. Esses benefícios proporcionam a mulher uma sensação de liberdade e comodidade.
  • Mulheres que apresentam contraindicações aos métodos anticoncepcionais hormonais (pílula, injeção) podem optar pela utilização do DIU.
  • É possível colocá-lo logo após o parto, já que este método não interfere na amamentação.

Vale lembrar que o DIU previne a gravidez, mas não tem nenhuma ação contra as doenças sexualmente transmissíveis, por isso, não é o melhor método, pelo menos não isoladamente, para mulheres que terão múltiplos parceiros sexuais nos próximos anos. A presença de uma DST é indicação para remoção imediata do dispositivo intrauterino, por conta do risco de complicações.

Efeitos colaterais

Vale lembrar que todo método anticoncepcional há risco de efeitos colaterais e com o DIU não é diferente. Por conta disso é muito importante o acompanhamento médico adequado.

  • Existe um pequeno risco, em cerca de 2% das mulheres, de infecção do útero (infecção pélvica). O maior risco de infecção ocorre nos primeiros 20 dias depois da colocação.
  • Sendo a gravidez rara entre as utilizadoras de DIU, quando ela ocorre, é ectópica (gravidez anormal que ocorre fora do útero) em 3% dos casos.
  • O DIU de cobre pode provocar menstruações mais longas, com maior sangramento e mais dolorosas, principalmente nos primeiros meses após a inserção do DIU. Portanto o modelo de cobre não é o mais adequado se a mulher já costuma ter períodos menstruais abundantes. Menstruações em excesso podem contribuir para o aparecimento de anemia.

Existem muitas opções de métodos contraceptivos e sem dúvida uma será ideal para o que você procura. Fale com seu médico(a) e descubra qual a melhor escolha pra você.

Procurando um especialista em Ginecologia e Obstetrícia em Alphaville? Marque sua consulta:

 

Dra Wany Lana
Ginecologia e Obstetrícia  – Alphaville SP
Telefones: 11 4195.4500 | 4195.4546
Whatsapp para informações e marcação de consulta: 11 96447.1266
Email: lana.machado@terra.com.br


Desmitificando o DIU: Motivos que o torna um método muito seguro Os riscos da obesidade para a fertilidade da mulher